Impact of infant feeding on the development of preterm gut microbiota (Record no. 13936)

Metadata
000 -Etiqueta do registo
campo de controlo de comprimento fixo
001 - Identificador do registo
Campo de controlo 13936
100 ## - Dados Gerais de Proc.
Dados gerais de processamento 20210412 pory50
101 ## - Língua da publicação
Língua do texto, banda sonora, etc. Inglês
200 ## - Título
Título próprio Impact of infant feeding on the development of preterm gut microbiota
Primeira menção de responsabilidade Juliana Pereira Morais
Outras menções de responsabilidade orient. Ana Faria, Cláudia Marques
210 ## - Publicação, Distribuição
Lugar da edição, distribuição, etc. Lisboa
Nome do editor, distribuidor, etc. NOVA Medical School
Data da publicação, distribuição, etc. 2019
215 ## - Descrição física
Descrição física xii, 69 p.
Outras indicações físicas il.
330 ## - Sumário ou Resumo
Texto da nota RESUMO: Introdução: Os bebés prematuros são especialmente vulneráveis a disbiose intestinal, uma vez que o seu microbiota é pouco abundante e diverso. O momento em que os primeiros microrganismos colonizam o intestino do recém-nascido é uma questão em aberto. Sabe-se que o microbiota materno pode influenciar a colonização do intestino dos bebés, tendo um papel crucial no desenvolvimento dos sistemas imunitário e endócrino, assim como na saúde metabólica dos mesmos. A alimentação tem sido descrita como um dos fatores mais importantes que influencia o microbiota da criança. Neste sentido, estudar o microbiota intestinal de bebés prematuros é uma prioridade para complementar os cuidados alimentares neonatais. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a influência dos diferentes tipos de alimentação infantil no microbiota intestinal de bebés prematuros. Mais ainda, foi analisada a colonização microbiana do mecónio destes bebés e a influência da transmissão vertical. Metodologia: O FEEDMI é um estudo observacional e longitudinal que inclui bebés muito prematuros (≤ 32 semanas de gestação) hospitalizados nos cuidados intensivos neonatais da Maternidade Dr. Alfredo da Costa. Foram recolhidas quatro amostras de mecónio e fezes de bebés prematuros. Às mães também foi pedido que fizessem uma recolha das suas fezes e que respondessem a um questionário de frequência alimentar. O ADN bacteriano foi extraído das amostras e grupos específicos de bactérias foram quantificados por RT-PCR. Resultados: No total, foram processadas 453 amostras fecais de 117 bebés prematuros e das suas mães. 88% das amostras de mecónio estavam colonizadas. Proteobacteria e Firmicutes foram os filos mais abundantes durante os primeiros 26 dias. O microbiota do mecónio de bebés nascidos entre as 28 e 32 mostrou ter correlações mais fortes com o microbiota das suas mães, assim com nos bebés nascidos por cesariana. A via de parto teve um efeito reduzido no mecónio dos bebés, sendo que a cesariana promoveu quantidades mais elevadas de E. coli. A influência da alimentação infantil no microbiota dos bebés prematuros não é imediata. Quando ajustado para idade gestacional, antibioterapia e dieta materna, o leite da própria mãe (LPM) promoveu um microbiota intestinal mais saudável com quantidades mais elevadas de bactérias totais e Bifidobacterium, quando comparado com o leite de dadora (LD) e formula. Contudo, estas diferenças foram inferiores nos prematuros alimentados com LD do que com formula. Também foram observados quantidades inferiores de Firmicutes nos bebés alimentados com fórmula, quando ajustado para os mesmos fatores. Conclusão: Os resultados desta tese sugerem que o mecónio poderá ter ADN bacteriano antes do nascimento e fatores maternos podem ter um papel central neste processo. Mais ainda, esta tese evidência a importância do LPM na composição do microbiota intestinal de bebés nascidos prematuramente.
330 ## - Sumário ou Resumo
Texto da nota ABSTRACT: Background: Preterm infants are especially vulnerable to dysbiosis since their early gut microbiota is less abundant and diverse. When the first microbial colonizers reach infants’ gut remains an open question. It is assumed that maternal microbiota can influence the infants’ gut colonization, making it a critical player in the offspring’s immune and endocrine systems, as well as in metabolic health. Infant feeding has been reported as a major factor influencing the gut microbiota. Thus, studying the preterm infant gut microbiota is a research priority to complement nutritional neonatal care. Objective: The aim of this study was to evaluate the influence of different types of infant-feeding on the gut microbiota preterm infants. In addition, it was evaluated the preterm infants’ meconium colonization and the influence of vertical microbiota transmission. Methodology: The FEEDMI Trial is an observational longitudinal study that included very preterm infants (≤ 32 weeks of gestational age), hospitalized in the neonatal intensive care unit of Maternidade Dr. Alfredo da Costa. A total of four meconium and fecal samples from preterm infants were collected. Mothers were also asked to collect their fecal samples. Bacterial DNA present was extracted from samples and specific bacterial groups were quantified by RT-PCR. Results: In total, 453 fecal samples were processed from 117 preterm infants and their mothers. 88% of meconium samples were colonized. Proteobacteria and Firmicutes were the most abundant phyla during the first 26th postnatal days of infants. Meconium microbiota of preterm infants born between 28 and 32 weeks gestation showed stronger correlations with their mothers’ microbiota, as well as infants born by cesarean. Maternal factors significantly influenced the offspring’s microbiota, specially the pre-gestational body mass index. Mode of delivery had a limited impact on infants’ meconium with C-section promoting a greater amount of E. coli. Infant feeding takes time to influence the gut microbiota of preterm infants. When adjusted for gestational age, antibiotherapy and maternal diet, mothers’ own milk (MOM) promoted a healthier gut microbiota with higher levels of total bacteria and Bifidobacterium compared to donor human milk (DHM) and formula. Nevertheless, these differences were lower in DHM than formula fed infants. It was also observed lower levels of Firmicutes in infants fed with formula after adjusting for the same factors. Conclusions: The findings of this thesis suggest that infants’ meconium may have bacterial DNA prior to birth and maternal factors may have a central role in this process. Furthermore, this thesis highlights the importance of human milk on gut microbiota composition of infants prematurely-delivered with MOM promoting higher levels of total bacteria and Bifidobacterium, which may be translated in future healthier outcomes.
606 ## - Nome comum
Koha Internal code 21453
Elemento de entrada Intestinal Microbiota
606 ## - Nome comum
Koha Internal code 21455
Elemento de entrada Infants
606 ## - Nome comum
Koha Internal code 21456
Elemento de entrada Breast Milk
606 ## - Nome comum
Koha Internal code 30
Elemento de entrada Academic Dissertation
610 ## - Termos de Indexação
Termo usado como assunto Dissertação de Mestrado
610 ## - Termos de Indexação
Termo usado como assunto Investigação Biomédica
610 ## - Termos de Indexação
Termo usado como assunto Universidade NOVA de Lisboa
610 ## - Termos de Indexação
Termo usado como assunto NOVA Medical School
610 ## - Termos de Indexação
Termo usado como assunto 2019
675 ## - CDU
Notação 616
700 ## - Responsabilidade principal
Koha Internal Code 21457
Palavra de ordem Morais
Outra parte do nome Juliana Pereira
702 ## - Responsabilidade secundária
Código de função Orientador de tese
Koha Internal Code 21458
Palavra de ordem Faria
Outra parte do nome Ana
702 ## - Responsabilidade secundária
Koha Internal Code 21459
Palavra de ordem Marques
Outra parte do nome Cláudia
Código de função Orientador de tese
801 ## - Fonte de origem
País Portugal
Agência NMS
Regras de catalogação RPC
856 ## - Localização e acesso electrónico
URL http://hdl.handle.net/10362/87923
090 ## - Números de controlo do sistema (Koha)
Número biblioitem do Koha (gerado automaticamente) 13936
942 ## - Elementos de entrada adicionados (Koha)
Suprimido Disponível no OPAC
Tipo de item no Koha Monografia
Holdings
Removido (estado) Perdido (estado) Data de aquisição Identificador de recurso uniforme Origem do registo (biblioteca) (codificado) Código da organização que empresta ou é detentora (biblioteca) Código de barras Cota Tipo de circulação (não pode ser emprestado) Tipo de item e material
Disponível Disponível 2021-04-12 http://hdl.handle.net/10362/87923 Biblioteca NMS|FCM Biblioteca NMS|FCM 20210119NL MOR3 TeseM-2019 Presencial/Restrito Monografia